sexta-feira, 19 de agosto de 2011

1º ano História


1º ano História

Volume 1

Pág.3
Resposta
1:Os animais pré-históricos e os humanos nunca conviveram juntos,isso faz parte do imaginário popular.
Pág. 3
1- eram entendidos como uma ficção
2- homem se desenvolve na face da terra de diferentes continentes .
3- Continente :AFRICANO , a áfrica é um grande continente com um pouco mas de 30 milhões de metros quadrados e cercados pelos oceanos atlântico enfrenta alguns problemas com um grau de pobreza e pela urbanização acelerada em quase todo continente é difícil obter água potável .
CONTINENTE americano ; foi provavelmente um dos ultimo ser preocupado pelos seres humanos .
CONTINENTE OSIATICO; os primeiros inteligentes com língua escrita.
pesquisa individual
- PRÉ HISTORICA CORRESPONDE AO PERIODO DA HISTORIA QUE ANTECEDE A INVENÇÃO DA ESCRITA QUE OCORREU APROXIMADAMENTRE 400A.C
Página 3
Questão 2 :
Ágrafos= povos que não dominavam a escrita
Letrados = Tinham o domino da escrita e leitura
Bárbaros = Povos não romanos
Civilizados = Povos que são romanos
Atrasados = povos menos desenvolvidos para algumas técnicas
tanto tecnologia como criação eles tinham dependência dos paises
Desenvolvidos = povos que faziam novas criações e não dependiam
dos paises vizinhos

Página 3
1-Nos desenhos animados mostram animais dóceis para agradar a criança que assiste.e nos filmes algo mais agressivo com os personagens humanos,para causar entusiasmo nos adultos que são o público-alvo,no caso.
2-O conceito pré-história está correto,mas varia do modo como usamos o termo para não se tornar preconceito,pois não podemos esquecer que foi no período pré-histórico que descobriram varias coisas úteis para nós hoje,então não poderia em momento algum serem considerados bárbaros ou atrasados.
3-A Terra tinha apenas um ‘super continente’ e dizem que a vida teve inicio nas águas dos oceanos e foi evoluindo, quando passou para a terra seca foi se espalhando pelo ‘super continente’. Quando os continentes foram se afastando … já eram todos os continentes ricos em vida.
Página 5
1-
Resposta-Pré – o que vem antes
História – ciência que estuda os fatos no decorrer do tempo, com o objetivo de não perdermos o seu registro e, com isto, entendermos melhor o tempo presente, percebendo que ele tem estreita relação de causa e efeito com o tempo passado.
Pré-história – termo que significa o período em que o homem ainda não utilizava a escrita.
Pág. 5

“A pré-história é o período da história do homem que vai desde o surgimento da espécie até o aparecimento das primeiras formas de escrita.”
Página 5
Pesquisa Individual
1 – A pré-história foi uma época de grandes descobertas como o fogo, aprenderam cultivar frutas ,vegetais e ervas aprenderam a domesticar animais
2 -
a) período paleolítico ou a pedra lascada (ocorreu aproximadamente 400 a.c)
b) Os grandes períodos foram Paleolítico o neolítico e a idade dos metais .
O período paleolítico é uma época que desenvolviam hábitos e técnicas que facilitavam a sobrevivência
O Neolítico é um período que surge a agricultura
A idade dos metais eram um procedimento é técnicas pela extração , fabricação e tratamento dos metais
Página 6
2- – Paliatico , Mesolítico & neolítico . caçadores & coletores !
200.000 a.c Homo neudurthalins já habitava grande parte do velho mundo ( Europa)
homo sapiens desenvolve objetos eficientes de pedras utilizando Silix ( pedra duríssima para fazer Facas
Nômade – caça & coleta
Mesolítico – 15.000 a 10.000
Página 8
Pesquisa em grupo Continente Americano
Acredita se que os primeiros migrantes humanos para a América foram nômades asiáticos que atravessaram a beringia ou parte terrestre de bering para chegar a América do norte .
Em outra onda migratória os invites atingiram a região ártica da América em cerca de 1000 milhares de anos apos as primeiras migrações surgiam as primeiras civilizações complexas no continente com base em comunidades agrícolas foram identificados assentamentos sedentários a partir de 6000 ac
Página 9
Nomadismo
Descoberta do fogo
Os homens viviam nas cavernas
Eles utilizavam recursos naturais em sua volta
Ao passar do tempo começaram a criar novas moradias
Essas moradias eram feitas com gravetos e pele de animais
A compreensão desse período é encontrada nas cavernas chamadas pinturas reeprestres.
Para fabricar as armas e utensílios usavam ossos , madeiras e etc…
Sedentarismo
O desenvolvimento da vida em sociedade
Moradia fixa em aldeias
Domesticação de animais
O homem cuida da segurança e caça as mulheres platam ,colhem etc…
O dinheiro era representado por sementes.
Eles deixaram de usar peles de animais e passaram a usar roupas de lã etc…
Os trabalhos passam a ser dividido entre homens e mulheres
Página 10
2-Os Períodos compreendidos pela Pré-História podem ser associados á seguinte seqüência:
b)Paleolítico,Neolítico e Idade dos Metais.(Resposta Certa)
3-Quanto aos binários,ágrafos e letrados;bárbaros e civilizados;atrasados e desenvolvidos,é correto afirmar que:
b)Dizem respeito ao fato de que a pré-história,havia pessoas que não escreviam e outras que escreviam;algumas que eram bárbaras e outras,civilizadas;além daquelas que eram atrasadas em relação a outras que eram desenvolvidas.(Resposta Certa)
Página 9 >10
1.O que você aprendeu?
Texto
Segundo o texto o homem deve evoluir junto,mas sabemos que os seres se transformam de maneira diferente,mas são todos iguais,nem maior nem menor.
2.alternativa B
3.alternativa C
PÁGINA 11
4.alternativa D
Página 10
1- A crença de que a humanidade evoluiu em estagio sucessórios ,iguais é obrigatórios a todas as sociedades,rumo a civilização do seu caminho é caracterizado por praticas e experiências sociais. Isso levou a considerar o outro como não europeu, como bárbaro ,atrasado,sem cultura e não desenvolvido (áfrica,América e Ásia) .Os principais desdobramento desde o século XIX levar a desconsideração , o respeito por culturas que não era européia, deram margens as empresas coloniais confirmado como base econômica e civilizatorio escrita até os dias de hoje.
2- B
3- C
4- D
Página 13
1- Por coisas achadas em equações,estudos e pesquisas
2- Geografia, Historia e arqueologia
Lição De Casa
1-
a) Latas ,garrafas e restos de comidas
b) Madeira,Ferro.
c) Algo que alguém comprou comeu e jogou fora
d)Se comem mais legumes ou se consome mais enlatados ou seja prefere um pouco de tudo.
e) Não
2- Geografia = Pintura rupestre sítio arqueológico.
História = Esta transmitindo uma imagem do cotidiano dos nossos ancestrais.
Química = Essa rocha pode conter substancia a serem estudadas, além de conter substâncias na tinta usada pelos nossos ancestrais.
Arqueologia = Que estuda o cotidiano dos nossos ancestrais.
Antropologia = E a ciência que estuda o comportamento e relações econômicas , políticas e sociais de um determinado povo.
Outra(s) = A biologia está disciplina entende a história.
Página 15
Geografia: da pra ver que eles viviam em uma caverna para se protegerem da chuva com suas famílias… e também para ficarem mais frescos, nos dias de muito calor.
Página 16
História: Eles comiam animais para não passarem fome e se aqueciam com a pele desses animais.
Química: Eles usavam pedras, gerando faíscas nas madeiras para poder fazer fogo, e se aquecerem.
Arqueologia: Os arqueólogos usaram suas gravuras e suas fósseis como vestígios para realizarem pesquisas sobre a existência dessas espécies.
Página 17
Antropologia: Sua existência foi complicada para nós de hoje que somos acostumados com mordomias. Eles já não tinham nada disso.
Outra(s): Eles desenhavam todos os seus atos e costumes, como se fosse uma “história” para ser lembrada por eles mesmos no futuro.
Página 17e18
Você aprendeu?
1-O conhecimento arqueológico ,estuda varias disciplinas deixando e quebrando barreiras.
2- B
3- C
Página 20
1)Pode
Poe que eles estuda a pré-história o mundo antes da escrita
2)Pelo vestígio pelo caminho do homem foram atrás desses vestígios e ele
foi encontrados as coisas que mais importaram..
Página 20
1- Sim, Pois através da arqueologia podemos entender mais sobre os antepassados a arqueologia estuda a sociedade da época.
2- As migrações foram feitas para a região norte pelo estreito de bering que foram feitas pelas ahuas congeladas que facilitou a entrada dos nossos ancestrais no nosso continente ou a segunda hipótese pelo pacifico do sul.
3-
Pré-Historia
Na pré-história cultivavam
Milho, batata, mandioca, cacau.
Para sobreviver usavam instrumentos,
Rústicos feitos de pedra lascada, ossos, madeiras.
e usavam muitas ervas.
Mundo Contemporâneo
O milho, a batata, mandioca.
o habito de dormir na rede,
a variedade das mulheres,
tomar banho varias vezes ao dia
Página 22
A origem das primeiras civilizações vem da África, eles acabaram migrando pra Ásia (Mesopotâmia, atual Iraque, lá que é o berço da civilização), formando tribos. Antes da descoberta havia povos indígenas que chegaram até aqui através do Estreito de Bering, que é a divisa da Rússia com os Eua, isso aconteceu somente após o fim da última glaciação. Tinha os incas, maias e astecas. Mas após a descoberta das Américas, o Norte se transformou em colônia de povoamento atraindo os europeus, principalmente os que não eram da religião católica. Já a América central e Latina foram colônias de exploração, muitos receberam terras do governo para estimular a vinda de pessoas pra cá.
1. As populações indígenas que ocuparam a América do Sul, heterogêneas, possuíam diversas línguas e adaptaram-se ao ambiente, adquirindo conhecimento a respeito da terra, da fauna,tornando-se os verdadeiros donos dessa terra. Os portugueses que aqui chegaram dominaram essas populações, tomaram suas terras e impuseram seus costumes.
Página 23
2. C
3. A
Página 24
1. Com o começo da agricultura e da criação de gado, cada vez mais os povos foram evoluíndo nos comércios e assim foram atraíndo populações e criando urbanizações.
2. Porque é nessa aérea que, depois das cheias dos Rios, o solo ficava fértil.
Lição de Casa.
As primeiras cidades surgiram entre 3 500 e 3000 a. C., nos vales dos rios Nilo, no Egito e Tigre e Eufrates, na Mesopotâmia; posteriormente, mais ou menos em 2 500 a.C., no vale do rio Indo, na Índia e por volta de 1 500 a. C., na China.
Página 25
Lição de Casa
Surgiram na Mesopotâmia. Foram fundadas por pequenos agricultores e pastores de animais que buscavam um bom local para se fixarem. Surgiram por volta de 8.000 a.C., nas margens dos rios Tigre e Eufrates.
Você aprendeu?.
1.Essa transição foi marcada por um conjunto de importantes mudanças de caráter socioeconômico que possibilitaram o surgimento dos primeiros núcleos urbanos e das primeiras cidades.
2.Que um vem em conseqüência do outro. Quanto maior o crescimento populacional, maior o desenvolvimento da sociedade.
Pagina 26
Você aprendeu ?
1 – O homem passou de nômade para sedentário graças a invenção da agricultora isto aconteceu primeiramente na região da crescente fértil influenciado por vários fatores
2 — a necessidade de controlar as águas das enchentes dos grandes rios e utiliza – lá em benefícios da agricultura levou a construção de grandes obras levaram ao desenvolvimento urbano dessas regiões.
3 – D
4- C
5- A
Página 28
1 – Múmias, Pirâmides, Esfinge e outros, tudo em filmes.
2 – Porque eles conseguiam controlar a água, ter agricultura e sobreviver no deserto.
Mesopotâmia
1 – A água mantém a vida na Terra. Não, depende do clima, condição financeira, lugar e outros.
Página 29
Faraó não era apenas considerado o “Governador” do Egito, mas também era considerado como se ele tivesse o poder divino, ele era um deus para o povo egípcio.
Página 30
Baixo império = O período compreendido entre os séculos III e V caracterizou-se pela crise e decadência do Império Romano. Apesar das mudanças políticas administrativas, a corrosão do sistema escravista foi responsável pela desorganização econômica e consequentemente pela desordem social.
Médio Império = O Faraó Amnenhat I pôs fim a este período agitado, voltou a unificar o país e mudou a capital para o Egito do Norte (baixo Egito.
Em 1878 a.C., o faraó Samusrl III tornou-se rei. Prosseguiu as campanhas militares na Núbia e foi o 1º a tentar expandir o poder do Egito até a Síria.
Página 31
Alto Império = O Egito estava dividido em duas partes. O alto Egito, situado a sul, mais perto do deserto do Saara, e o baixo Egito, a norte, mais perto do Mar Mediterrâneo.
O alto Egito era, portanto, a parte mais pobre, e por esta mesma razão, foi daqui partiu a conquista do baixo Egito, encabeçada por Narnus aproximadamente no ano 3200 a.C., que levou a um conseqüente unificação de todo o território.
Sumério = Os criadores da 1ª grande civilização mesopotâmia foram os sumérios. Provavelmente originavam a Ásia central, o sumério por volta do ano 3500 a.c.
Acádios = A língua Acádia teve seu nome provente da própria Acádia, um reflexo do uso de um termo específico no antigo período Babilônico.
Pagina 32
Amoritas: povo originário do deserto da arábia, habitou a cidade de babilônia, ganhou destaque com o declínio do império fundado por sargão
Assirios: povo que vivia no mortido misapotanio foram os primeiros povos a constituir um exercito disciplinado.
Caldeus: os caldeus viveram em caldeias. sobreviviam da agricultura
Página 33
Exercício 1
Porque ambos os três (política, religião e economia) estavam envolvidos.
Por exemplo, no Egito, o Faraó governava em ambas as partes citadas. Governava politicamente, economicamente e era considerado eleito pelos deuses.
Página 38
Lição de casa .
1. Sempre foi dada a maior ênfase ás sociedades clássicas, pois os europeus sempre se colocaram como descontentes dessas sociedades.
Página 39
2.
resposta: letra A
3.
resposta: letra C
4.
resposta: Letra C

Volume 2

Página 4
exercício 2
Demos = povo/kratos = força, soberania, poder.
Democracia = poder do povo
Oligarquia = poder de poucos
Aristocracia = poder dos melhores.
Em uma democracia se deve contemplar os direitos das minorias e ñ das maiorias. O governante eleito deve atender os interesses ñ só daqueles que o elegeram, mas de todos.
Página 4 e 5
exercício 3
A democracia grega é entendida como o poder do povo ou o governo exercido por ele, mas é por definição excludente, pois mulheres, crianças, estrangeiros e escravos ñ participam dos poderes decisórios da cidade. Cidadãos no século V eram apenas aqueles que fossem filhos de pai e mãe atenienses (homens, com mais de 16 anos), e ñ todo habitante da cidade, as mulheres cuidaram da casa, dos filhos (futuros cidadãos) e participavam de ritos religiosos, os escravos, em geral eram prisioneiros de guerra, ñ sendo percebidos como seres humanos, mas sim como mercadorias. Estrangeiros (metecos) a quem era concedido o direito de morar em Atenas, ñ tinham direitos políticos na cidade.
Página 5 e 6
Leitura e análise de texto
O texto considera como membros beneficiadas pela democracia atenienses. Não era considerados cidadões os escravos, as mulheres, os estrangeiros e os menores de idade. Ao analisarmos a proporção desses grupos na sociedade ateniense, percebemos que a maioria era excluída da política democrática. Portanto cria-se um jogo de palavras, pois a democracia que é o governo da maioria, em Atenas excluía a maioria da população na hora da escolha, porém garantia direitos políticos a todos os cidadões.
Página 7 e 8
questão 1 e 2
1-) Uma das características é ser um estado soberano, que se compõe a cidade e campo, que tem uma ligação comum.
2-) Tinha uma pequena população, elas era diferentes em tamanho territorial.
Página 9
1. a) conselheiros
b) generais (cargos menos importantes)
c) reunião
d)conselho de leis
2. a)comandantes de cavalaria
b)conselheiros
3. O sorteio era feito somente entre as pessoas com mais de 30 anos, e ninguém podia ocupar um cargo duas vezes, antes que todos os outros o tivessem ocupado, depois, então, eram eleitos de novo por sorteio.
Página 10
Motivações da militarização espartana, divisão do trabalho na sociedade e vida pública.
Esparta era uma cidade de caráter militarista e oligárquico, nunca tendo desenvolvido uma área urbana importante. O governo de Esparta tinha como um de seus principais objetivos fazer de seus cidadãos modelos de soldados, bem treinados fisicamente, corajosos e obedientes às leis e às autoridades. Em Esparta os homens eram na sua maioria soldados e foram responsáveis pelo avanço das técnicas militares, melhorando e desenvolvendo um treino, organização e disciplina intensivos e nunca vistos até então.
Aos hilotas competia a realização de diferentes trabalhos na cidade, ao passo que os cidadãos espartanos podiam dedicar seu tempo a uma educação militarizada, indispensável à manutenção desse sistema. A base dessa educação estava no convívio público dos homens (cidadãos) da cidade, que partilhavam de diversas atividades comuns e obrigatórias: rígido treino militar, policiamento dos hilotas, refeições conjuntas, etc.
Página 11
como moses finly falou que se igual não e basicamente igual você tem q ter educação melhor que a deles você tem q ter muita educação porque a educação e a raiz da sua vida com ela você aprender a ser quem você mesmo e inicio o q os outros pensa de você.
3) c
4) d
5) a
Página 13
1) antiguidade os excluído eram os escravos as mulher e os estrangeiros os escravos
eram compreendidos pelos estrangeiros tinham sem ganhar um sábio os estrangeiros não podiam compra terá mas podia trabalha no comercio a mulher tinha que cuida da casa.
2)na forma que as pessoas que não pode ler e escrever são excluídos pois não sabem o que é votar, as pessoas do mundo muitas vezes o poder aquisitivo do nosso mundo os excluiu.
Página 15
Escravidão e democracia, termos aparentemente incompatíveis nas sociedades contemporâneas, não eram na sociedade Ateniense?
A escravidão foi o que possibilitou a democracia direta em Atenas. Os escravos davam às pessoas o tempo ocioso que elas precisavam para se dedicar à política.
Hoje em dia, não é necessário o trabalho escravo, pois, desde a revolução industrial, o nível de produtividade é tão alto que definitivamente não são mais necessários escravos para se viver no ócio.
E atualmente a democracia tem um caráter universalista, coisa que em Atenas não tinha, era meramente nacionalista.
Página 16
Metecos: A palavra metoikos deriva junção da preposição meta (“no meio de”, “com”) com o nome oikos (“casa/família estendida/propriedade familiar”; o equivalente do inglês “household”), significando algo como “aquele que mora junto de”. Alguns autores, como o historiador britânico David Whitehead, defende que a preposição meta indica também a idéia de movimento, trazendo ao termo metoikos a marca de uma migração.
Os excluídos
Em meio aos elogios dos modernos à democracia ateniense, uma crítica reponta: ela negava participação na agora às mulheres, aos menores de idade, aos escravos e estrangeiros. Hoje aceitamos a exclusão dos menores, mas não a das outras categorias. O trabalho manual, considerado degradante, cabia sobretudo a escravos. Na condição de estrangeiro (em grego, meteco), incluíam-se todos os não-atenienses e mesmo seus descendentes: muitas pessoas nascidas em Atenas, mas de ancestrais estrangeiros, jamais teriam a cidadania ateniense.
Página 17
Condição social das mulheres em Atenas
Na Grécia antiga, a mulher era sempre considerada inferior ao homem. O grande filósofo Platão dava todos os dias graças aos deuses de ter nascido homem e não mulher, livre e não escravo. A mulher ateniense quase não aparecia em publico e tinha papel de pouca importância na vida social encerrada no gineceu, entre suas escravas, distribuía-lhes a lã para fiar, tecia ela própria as roupas, não se juntava aos homens em suas reuniões, saindo apenas para as festas religiosas. A jovem na família recebe instrução rudimentar, cozinha, borda, cose e canta, casa-se conforme a vontade paterna. A mãe de família é completamente sujeita ao marido; este, antes de morrer, pode escolher-lhe um segundo esposo, é considerada apenas como a primeira entre as escravas e pode ser, sem formalidade alguma, repudiada pelo marido.
Questão 3
(C) Porque, entendia como “clube de homens” e “clube de cidadãos”
Questão 4
(D) Os escravos jamais participavam das instâncias decisórias a respeito dos problemas das cidades, porque não tinham nenhum direito.
Questão 5
(C)Mulheres, estrangeiros e escravos.
Página 20
1).TODOS OS QUE ERAM TOMADOS AO FINAL DE UMA GUERRA E TAMBÉM MULHERES E ESTRANGEIROS , POIS TINHAM DIREITO CORTADOS.
2).ESTÁ RELACIONADA A PARTICIPAÇÃO , OU MAIOR LIBERDADE ENTRE ESTRANGEIROS E MULHERES.
3).SER UM HOMEM LIVRE DE ORIGEM GREGA DOTADO DE BENS .
4)AQUELES QUE POSSUIREM TÍTULO DE LEITOR
Página 21
A) Quem eram os escravos na Antiga Grécia?
Aqueles capturados na guerras e por dívidas, às vezes sucedia o sujeito tornar-se escravo por conta própria já que não podia sustentar-se de outra forma.
Importante lembrar que um escravo podia ocupar cargos de confiança tanto na gerência do Estado como de patrimônios particulares, eram tutores e professores também ou seja a escravidão na Grécia antiga tinha uma outra conotação em relação a escravidão como geralmente a vemos, aquela que havia no Brasil por exemplo.
B) Por que as mulheres e estrangeiros não tinham direito ao voto nas assembléias?
Porque não eram considerados cidadãos.
Página 22
Escravidão:
Os escravos africanos, que vieram para o Brasil, eram tirado de seu continente com o intuito de serem utilizados como mão de obra. Poderiam, também, serem comercializados e normalmente não havia um real conflito entre o colonizador e o colonizado. Já os escravos da Grécia, ou de Roma, eram provenientes de povos que lutavam contra os gregos ou romanos e perdiam essas batalhas. Eles tinham uma liberdade maior que os escravos africanos, mas eram socio-hierarquicamente inferiores dentro da escala desses povos.
Participação feminina na sociedade:
Em Atenas as mulheres estavam restritas ao ambiente doméstico. A elas era permitida a participação em alguns rituais religiosos, enterros, casamentos e visitas rápidas a vizinhas e amigas. Em suas casas, as mulheres gregas tinham que cuidar do trabalho doméstico e criar os filhos. Muitas mulheres gregas tinham escravas que cozinhavam, limpavam e trabalhavam nas plantações. Enquanto no Brasil, aos poucos, através de muitas lutas, as mulheres conquistaram espaço em praticamente todas as áreas como trabalho, esportes, direitos, etc.
Inserção política dos estrangeiros: Os estrangeiros na antiga Grécia não exerciam nenhuma função na política pois apenas atenienses, homens, livres e maiores de idade tinham direito nas assembléias, enquanto no Brasil, o estrangeiro naturalizado adquire o direito ao voto.
Página 24
Questão 3
(C) diferentes autores quiseram ver em um número menor de escravos em Atenas a política de um mal menor, fato que se aplicaria, também, à escravidão moderna.
Questão 4
(B)Em ambos contextos as mulheres não tinham direito ao voto.
Questão 5
(D) A idéia de plebe ociosa já existia na Antiguidade.
Página 26
Países que correspondem aos territórios outrora conquistados por Alexandre:
Grécia, Turquia, Líbano, Israel, Síria, Jordânia, Egito, Iraque, Armênia, Azerbaijão, Geórgia, Kuwait, Irã, Paquistão e partes da Índia e Arábia Saudita.
Página 29
1)Qual a distinção entre cultura helênica e cultura helenística.
A cultura helênica é a cultura grega (ocidental) enquanto a helenística é a junção da cultura ocidental com a oriental.
2)Cite algumas das principais contribuições da cultura helenística.
A criação da filosofia. As primeiras tentativas da democracia. Inovações matemáticas. Inovações nas artes e na arquitetura. Inovação na dramaturgia e na literatura.
Pagina 30
Questão 3
(A) adjetivo que se refere à cultura grega/adjetivo utilizado por estudiosos contemporêneos para se referirem ao período que vai das conquistas de Alexandre até o domínio romano sobre a Grécia.
Questão 4
(C)Diferentes trocas culturais entre gregos e não-gregos.
Questão 5
(B)Criação de um verdadeiro intercâmbio entre as culturas dos povos anexados ao império.

Volume 3

Página 3
ex: 1
termos:
* IMPERIO: autoridade, domínio, monarquia cujo soberano tem o título de imperador. estado poderoso.
* IMPERIALISMO: política de expansão e domínio territorial e ou econômicco de uma nação sobre outras.
* QUEDA: ato ou efeito de cair. decadência, declínio. extinção ou assação busca do poder.
Página 4
4
Na antiguidade o território ocupado pelos romanos,compreendia a Inglaterra os bretões,a França os francos,a Alemanha os vândalos e etc.
Página 5
5
A)As motivações estavam ligadas a interesses comerciais e de controle político e militar dos povos conquistados.
B)As conquistas romanas só foram possíveis por causa da formação de um poderoso exército grande e armado.
C)Através das conquistas romanas,acreditavam levar civilização para outros povos.
6
Na verdade ocorreram uma série de transformações que ñ romperam definitivamente com Roma.
7
A designação “bárbaros”,refere-se a diferentes povos com diferentes culturas.
8
As “invasões bárbaras”na verdade foram migrações dos povos em busca de terras férteis,regiões para morar,fuga de povos com os quais estavam em conflitos.
9
Na verdade o Império Romano entrou em decadência devido a incapacidade de se administrar um grande império.
Pág : 6′
exercício 7 : Os estrangeiroos .
exercício 8 : Não , eles apenas ocuparam .
Página 7
LIÇÃO DE CASA-
Um dos problemas enfrentados pelos políticos romanos foi a questão da terra, associada à grande desigualdade social que afligia a maior parte da população.
Página 7
Você Aprendeu
1- Durante seu movimento de expansão, Roma conquistou e subjugou militarmente diferentes povos, interferindo diretamente em sua política e economia, prática que ficou conhecida como imperialista.
2- A queda ou o fim do Império Romano são entendidos como o término da civilização romana associados, principalmente, ás migrações bárbaras.
3- B
4-B
5-D
Página 8
3.letra b
4.letra b
5.letra a
Página 10 :
A história da Grécia é marcada por forte presença da cultura Oriental , a grande influência que fenícios e egípcios exerceram sobre os gregos .
Página 12
5. Posição geográfica, uma elevada muralha que protegia de ataques, Roma transformou-se no centro comercial e urbano da Europa, as férias expunham mercadorias européias, indianas, etc.
Páginas 13 e 14
6. Fator econômico, político. A indústria e o comércio foram atividades muito lucrativas para Bizâncio, o comércio bizantino era muito superior ao do ocidente, os mercadores lidavam sobretudo com produtos de luxo, especiarias, jóias e objetos de arte. A origem do Império Bizantino está ligada as mudanças ocorridas no centro do poder administrativo do Império Romano.
7. A posição geográfica, estreitamente ligada à fé cristã, a cultura bizantina valorizava os estudos de literatura difundidos nas várias escolas e bibliotecas construídas na cidade.
Página 15
Lição de Casa
Basílica de Santa Sofia em Istambul (antiga Constantinopla) na Turquia. Construída no século VI, a Basílica foi transformada em mesquita após a conquista turca, ocorria no século XV.
Página 16
a) Maomé(nasceu em 570 d.c, Meca e morreu em 8 de Junho de 62 d.c). Foi um líder religioso e político árabe .Medina a primeira cidade regida por princípios teocráticos e foi em Meca que o profeta Maomé proclamou o Islamismo
b) O enfraquecimento do império Romano a ausência de um poder centralizado no ocidente,a capacidade,a unificação das terras árabes.
Página 17
1 – Ao lado do cristianismo , o islamismo é hoje a única religião do mundo com mais de 1 milhão de fiéis.A maioria deles concentra-se na Ásia (70%) e na áfrica (26%).
Maomé é o principal profeta da crença islamismo.Ele nasceu em Meca em 570 em uma família de mercadores.
Página 18
Foi a divisão da Igreja Católica em duas: a Igreja Católica Apostólica Romana com sede em Roma, comandada pelo Papa e a Igreja Católica Ortodoxa do Oriente, comandada pelo imperador bizantino, com sede em Bizâncio.
Página 19
A presença do Islã na sociedade brasileira se faz mais presente, em média na cidade de Foz do Iguaçu (PR), que integra a Tríplice Fronteira, formada pelo Brasil, Argentina e Paraguai, nessa região a presença de muçulmanos é grande. Por sinal hoje é 6ª feira, o dia da semana santificado pelos muçulmano sul
Página 22
1.a relação e que teve varias conquistas de territórios para poder formar a França atual.
2.com a morte de seu irmão, Carlos magno se tornou soberano e através de varias guerras ele ampliou o reino franco, dando-lhe muito prestigio.
Página 24
3. ele criou províncias na ordem crescente, e elegeu cargos administrativos:condes, os marqueses e os missi-dominici para controla-las
Lição de casa:
Como o rei não estava nem ai para a população, e quem cuidava de tudo era o mordomo do paço então o mordomo se achou no direito de tomar o lugar do rei, ja que o rei so servia de enfeite
Página 25
2- Capitulares=conjunto de leis elaborado por Carlos Magno para todo o império.
Beneficium= em doar terras para aqueles que prestassem serviços e fossem fiéis ao rei.
3- (C)
4- (C)
5- (D)
PÁG. 26
1- É a forma de governo descentralizado,criado pela igreja Católica para administrar as terras.Feudos eram terras do tamanho de cidades que tinham igreja,castelo,vila dos servos.
PÁG. 28
3- Os trabalhadores tinham apenas o inverno com descanso, pois o resto dos anos eles plantavam e erravam.Em fevereiro era o inverno; em março eles aravam e plantavam; junho eles colhiam uvas; em outubro eles aravam e plantavam novamente.
PÁG. 29
4- Quem colhia e trabalhava,tinha como obrigação era; mas quem rezava,ou se os padres,não combatia nem trabalhava.Somente os religiosos se excluíam dos outros afazeres.
Página . 30
a) Os papas tinham o projeto de implantar na Europa um estado teocrático que substituísse o estado jurídico romano e então eles investiram em chefes tribais bárbaros e apoiaram a construção de feudo
Página . 31
b) as vilas (grandes propriedades rurais auto-suficientes), o colonato (sistema de trabalho que criava uma relação de dependência entre um trabalhador e um senhor de terras), a Igreja (responsável pela preservação e transmissão de parte da cultura romana aos novos reinos germânicos).
c) A primeira compreendia os integrantes do clero, que cuidavam da fé cristã, a segunda reunia a nobreza por um todo, responsáveis pela guerra e pela segurança, a última ordem era aquela constituída pelos servos, que trabalhavam para sustentar toda população.
Página 32
4- D
5-B

Volume 4

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1
RENASCIMENTO COMERCIAL E URBANO E FORMADAS
MONARQUIAS NACIONAIS
Para começo de conversa
Página 3
Ao discutir a produção dos alunos, você pode observar que, para o contexto de
constituição das Monarquias Nacionais, os fatores estudados – centralização do poder,
busca de unificação territorial, leis comuns etc. – ajudam a definir o próprio conceito de
Nação. Muitos desses fatores, ainda hoje, caracterizam o que entendemos por Nação;
contudo, no mundo contemporâneo, existem poucas monarquias. O conceito de Nação,
hoje, apesar de se assentar em referenciais ligados a valores comuns nacionais, como
língua, cultura, território e povo, tem implicado uma problematização maior das
experiências humanas, no sentido de valorizar as diferentes variações cronológicas e
espaciais (sotaques, dialetos, hábitos alimentares etc.), contrapondo a unidade à
pluralidade. A Nação não é mais entendida como um todo uniforme, mas constituída de
indivíduos com diferentes tradições, práticas e experiências agrupados em um mesmo
território, sob um mesmo estatuto jurídico e político.
Páginas 3 – 5
1. Entre os séculos XI e XV, a Europa ocidental passou por diversas transformações
políticas e sociais. Ao resultado dessas transformações convencionou-se chamar de
Renascimento Comercial e Urbano. O aumento populacional, o desenvolvimento da
agricultura e a intensificação e organização das trocas comerciais estão na base
dessas mudanças, que também exerceram grande influência nas novas organizações
espaciais e no modo de vida das pessoas. No âmbito político, paralelamente a essas
transformações e em grande medida como desdobramento delas, ocorre a formação
1
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
das monarquias nacionais e a centralização do poder monárquico. Espera-se que,
nesta atividade, os alunos contemplem aspectos relacionados a esse conteúdo.
a) Guildas: associações de mercadores que formavam corporações segundo o
ofício exercido (alfaiates, sapateiros, tecelões, vinagreiros, ferreiros). O objetivo das
guildas era promover a organização profissional e o controle da produção e evitar a
concorrência.
b) Hansas: cidades mercantis/associações de mercadores que controlavam trechos
e localidades de comércio.
c) Liga Hanseática: liga que reunia diversas hansas do Norte da Europa e
controlava as comunicações e o comércio entre os mares do Norte e Báltico.
1a imagem – vista da cidade alemã de Nuremberg, densamente construída e rodeada
por imponentes muralhas e torres. Avistam-se o castelo imperial e suas torres. A
gravura transmite a ideia de prosperidade e segurança de Nuremberg. Identifique o
Rio Pegnitz, que corta a cidade;
Essas informações são aquelas que, provavelmente, os alunos vão destacar nas
descrições que realizarem. Caso você deseje complementá-las, chame a atenção para
outros aspectos do contexto histórico que envolve a imagem apresentada, como por
exemplo:
A cidade gozava de um estatuto jurídico especial caracterizado pela autonomia
local e política maior que as demais cidades alemãs.
O importante, nesta atividade, é estimular, a partir da observação, a decomposição
imagética, detalhando os elementos que a constituem.
2a imagem – a ilustração integra o livro de anedotas Treatise on the Vices (Teatro dos
Vícios), publicado no século XIV em Genova, na Itália. Trata-se de uma encenação
teatral sobre a usura dos banqueiros e os vícios capitais citados na Bíblia. De autoria
atribuída a Pelegrino Cocharelli, que teria escrito o livro para educar os filhos.
Os alunos deverão destacar a atividade desempenhada na cena pelos três personagens
da direita, ou seja, a contagem de moedas, enquanto o personagem da parte inferior
esquerda guarda um saco em um baú, provavelmente repleto das mesmas moedas.
2
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
Páginas 5 – 6
1. O processo de transição do Feudalismo para o Capitalismo foi marcado pela crise do
poder dos senhores feudais e pela centralização deste poder nas mãos dos reis.
Contínuo e variável geocronologicamente, esse processo culminou na formação das
entidades que hoje são designadas Estados-Nação. O aumento populacional, o
desenvolvimento da agricultura e a intensificação e organização das trocas
comerciais estão na base dessas mudanças, que também exerceram grande influência
nas novas organizações espaciais e nos modos de vida das pessoas.
2. Ver a resposta à questão 1, da página 3 do Caderno do Aluno no início do Gabarito.
3. O crescente movimento de mercadorias fez com que aumentasse o consumo de
diversos produtos entre a população, o que levou ao surgimento das feiras, locais de
compra e venda de mercadorias. Nesses locais a atividade comercial era intensa,
estimulava a circulação de moedas e atraía muitos comerciantes e compradores. As
feiras surgiam em locais estratégicos, onde se cruzavam as rotas de comércio, como a
feira da Champagne, na França, e a de Flandres, região norte da Bélgica, e
favoreciam o crescimento das cidades.
Páginas 6 – 8
a) Liga que reunia diversas cidades mercantis do Norte da Europa e controlava as
comunicações e o comércio entre os mares do Norte e Báltico.
b) Desenvolvimento de novas técnicas aplicadas à agricultura, crescimento
demográfico, cruzadas, comércio com o Oriente.
c) Com o desenvolvimento técnico da agricultura, a produção agrícola demandava
um número menor de pessoas. Assim, parte da população se dirigia para as cidades,
libertando-se do jugo senhorial.
2. As relações feudais representavam um grande empecilho ao desenvolvimento do
comércio, sobretudo pelas frequentes intervenções dos senhores feudais na política
3
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
comercial em nível local. Eram comuns cobranças de impostos e imposição de regras
que variavam de uma localidade para outra, em virtude da grande descentralização
do poder político no mundo feudal. Nesse contexto, a centralização do poder nas
mãos do monarca atendia aos interesses dos comerciantes (que tinham na monarquia
a concentração dos poderes) e dos próprios monarcas (que limitavam, com isso, a
atuação da Igreja e da nobreza).
3. Alternativa c.
4. Alternativa d.
4
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2
EXPANSÃO EUROPEIA NOS SÉCULOS XV E XVI:
CARACTERÍSTICAS ECONÔMICAS, POLÍTICAS, CULTURAIS E
RELIGIOSAS
Páginas 9 – 11
1. Caso considere pertinente, acompanhe a leitura do primeiro mapa, ajudando os alunos
na identificação dos elementos míticos que, eventualmente, sejam desconhecidos por
eles. Uma estratégia interessante pode ser indagar os significados de tais símbolos
para a época a que pertence o mapa.
a) O primeiro mapa, de 1493, representa o mundo então conhecido, ladeado por
monstros que povoavam o imaginário dos seres humanos daquele período e guardado
pelos três filhos de Noé (pensava-se que o mundo era dividido entre os três). O
movimento dos ventos é representado por rostos soprando, mostrando a sua direção.
Trata-se de uma combinação de referenciais ptolomaicos e bíblicos. O segundo mapa
representa o mundo contemporâneo, geograficamente delimitado, sem as concepções
fabulosas do anterior, resultado de um conhecimento e de um domínio maiores a
respeito dos espaços terrestres, sendo esta a principal motivação das diferenças
apresentadas.
b) O mapa contemporâneo representa a organização política da atualidade.
2. O caminho terrestre para o Oriente, ou seja, para a Índia, como assim designavam os
europeus, fonte de riquezas, artigos de luxo e especiarias, estava dominado pelos
árabes e italianos. A busca de um caminho alternativo, pelo mar, pode ser entendida
como a base do expansionismo marítimo português.
3. As especiarias eram ervas ou partes de plantas trazidas do Oriente pelos europeus
(canela, cravo, pimenta-do-reino etc.). Em virtude de suas propriedades aromáticas,
eram utilizadas no preparo e na conservação de diferentes alimentos da culinária
europeia e seu comércio constituiu-se em uma importante fonte de riquezas, advindo
daí sua grande valorização.
4. As Monarquias Nacionais detentoras de grandes poderes, suas alianças com a
nobreza e com a burguesia e os investimentos financeiros desta última estiveram na
base das organizações e financiamentos das expedições marítimas. Estas garantiam
5
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
vantagens para cada um desses grupos. A Igreja Católica, envolta na crise provocada
pela Reforma Protestante, objetivava a conquista de novos fiéis pelo mundo e, por
isso, também incentivava tais expedições. A situação de pobreza e superpopulação
europeia, a Guerra dos Cem Anos, a Peste Negra e as constantes epidemias,
certamente também colaboraram para que muitos se aventurassem pelo mar em
busca de uma vida melhor.
Páginas 12 – 13
1. As palavras apontadas pelos alunos poderão diferir. Com o intuito de propiciar uma
ampla compreensão do texto, verifique quais foram destacadas e comente-as em
grupo. É interessante, neste momento da aula, ter em classe um dicionário para tirar
eventuais dúvidas que possam surgir. Essa prática deve ser incentivada, em vez de
simplesmente procurar dirimir as dúvidas dos alunos. Dessa forma, você pode
trabalhar o significado que mais bem se adapta ao contexto, orientando os alunos a
fazer o mesmo como prática recorrente.
2. A compreensão dos alunos deve considerar orientações gerais para cada uma das
oitavas. Para a primeira, coragem, desafio e espírito empreendedor; para a segunda, a
grandiosidade dos reis e a civilização que, entendia-se, levavam para povos da África
e da Ásia; para a terceira, a força dos exércitos; e, para a quarta, a benevolência da
Providência Divina para os grandes feitos e as riquezas da Índia.
3. O aluno deve ser orientado a elaborar um texto que seja a síntese dos conteúdos
estudados nesta Situação de Aprendizagem e que, ao mesmo tempo, privilegie a
análise dos elementos constitutivos do expansionismo.
Páginas 13 – 14
1. O Oriente fora, desde a Antiguidade, objeto de fascínio para os ocidentais, que a ele
sempre associaram mistérios e exotismos, em grande parte pelo desconhecimento a
seu respeito. Nesse contexto, o fascínio era animado pela enorme quantidade de
6
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
produtos “luxuosos e exóticos” vindos do Oriente e pelo interesse que despertavam
nos europeus. Marco Polo e suas aventuras no Oriente avivavam os estereótipos
dessa região em livro de grande sucesso.
2. Com a realização das viagens, os medos imaginários deixaram de existir, o que teria
diminuído a “sensibilidade” dos portugueses.
Páginas 14 – 16
1. Resposta para as questões (a), (b) e (c).
O poema trata da própria história de Portugal, destacando nessas passagens o período
da expansão europeia nos séculos XV e XVI, e os motivos que levaram às viagens
ultramarinas. Para Fernando Pessoa, o pioneirismo português reflete a bravura desse
povo. Por fim, o aluno deve emitir sua opinião a respeito.
2. Alternativa a.
3. Alternativa b.
7
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3
SOCIEDADES AFRICANAS DA REGIÃO SUBSAARIANA ATÉ O
SÉCULO XV
Páginas 16 – 18
1. A designação África Subsaariana refere-se aos 48 países situados geograficamente ao
sul do Deserto do Saara: África do Sul, Angola, Benin, Botsuana, Burkina Fasso,
Burundi, Cabo Verde, Camarões, Chade, Congo, Costa do Marfim, Djibuti, Eritreia,
Etiópia, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Ilhas
Comores, Lesoto, Libéria, Madagáscar, Malaui, Mali, Ilhas Maurício, Mauritânia,
Moçambique, Namíbia, Níger, Nigéria, Quênia, República Centro-Africana,
República Democrática do Congo, Ruanda, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra
Leoa, Seychelles, Somália, Suazilândia, Sudão, Tanzânia, Togo, Uganda, Zâmbia e
Zimbábue.
2. É importante que os alunos observem que a África não era um continente uno, que
havia diferenças entre os habitantes das diferentes regiões. Também é importante
ressaltar que a divisão atual do continente foi concluída no século XX, quando da
divisão do território africano entre as principais potências europeias, fato que não
levou em conta suas especificidades culturais. Consulte o livro A África na sala de
aula, de Leila Maria Gonçalvez Hernandez, que integra a bibliografia de referência
de avaliações da SEE/SP e que tem alguns mapas sobre a organização espacial e
política do continente.
Página 23
Esse espanto advinha, sobretudo,
africanas não eram tão desenvolvidas quanto as europeias. A Civilização Africana,
entretanto, dava-se de um modo diferente do estabelecido pelos padrões europeus
(com uma estrutura estatal organizada, em moldes africanos), evidenciando a
necessidade de relativizar o conceito de “civilização”.
da visão eurocêntrica de que as sociedades
8
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
Páginas 23 – 26
1. Essa frase problematiza a visão preconceituosa criada pelos europeus sobre a África
e os africanos, e como isso fortaleceu o estabelecimento de perspectivas
preconceituosas sobre esse continente. Ela representa a ideia de uma África criada
geográfica e culturalmente estereotipada, vista como uma realidade geográfica e
social única.
2. Alternativa c.
3. Alternativa d.
4. Alternativa a.
9
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4
A VIDA NA AMÉRICA ANTES DA CONQUISTA EUROPEIA: AS
SOCIEDADES MAIA, INCA E ASTECA
Página 27
É importante que, em suas respostas, os alunos procurem contemplar de modo amplo
aspectos sociais e culturais dos povos que viviam nas Américas antes da conquista
europeia. Estimule a realização de pesquisas, a fim de expandir, nesse momento inicial,
o repertório dos alunos. É importante que eles identifiquem que são os
colombianos e qual sua localização geográfica.
povos pré-
Páginas 27 – 29
A pesquisa em grupo visa o aprofundamento temático a respeito das culturas pré-
colombianas. Divida os alunos em grupos da forma que considerar mais conveniente e
atribua a cada um deles uma das sociedades que são objeto desta Situação de
Aprendizagem. No Caderno do Aluno encontram-se tópicos de pesquisa que podem ser
complementados por você. Incentive a consulta a múltiplas fontes e a elaboração de
sínteses autorais.
Página 30
Para a realização desta atividade, é muito importante que os alunos tenham feito o
registro de suas pesquisas, que deverão ser apresentadas à classe pelos colegas. No
Caderno do Aluno há espaços destinados a esse registro. É importante chamar a atenção
dos alunos para esse momento do registro. Em casa, eles deverão apontar semelhanças e
diferenças em relação às culturas pré-colombianas de acordo com a escolha de um dos
aspectos pesquisados por todos.
10
GABARITO
Caderno do Aluno
História – 1a série – Volume 4
Páginas 30 – 31
1. A diferentes fatores, como doenças transmitidas pelos conquistadores, suicídios,
abortos, e, sobretudo, à violência e aos assassinatos cometidos pelos espanhóis
durante as “Guerras de Conquistas”.
2. Alternativa d.
3. Alternativa b.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário